Turismo corporativo: definição e dicas para as viagens da sua empresa

Início » Viagens e Reembolsos Corporativos » Turismo corporativo: definição e dicas para as viagens da sua empresa
4 minutos de leitura

Uma viagem a trabalho pode encontrar no turismo corporativo, definição de uma estratégia que pode ser bastante positiva para o crescimento do networking dos funcionários, expansão da atuação e relevância no mercado, conquistas financeiras, além de abrir portas para novas oportunidades.

Impulsionado por feiras, congressos, reuniões, captação de novos clientes, entre outros eventos, esse segmento vem se popularizando e crescendo cada vez mais globalmente.

Entretanto, apesar dos benefícios, o artifício gera despesas e pode pesar no orçamento. Podendo, inclusive, ser um risco para a sobrevivência do negócio quando não há uma boa gestão das viagens e controle de despesas amparado por uma política de viagens.

Aqui nesse artigo, vamos explicar o turismo corporativo: definição e dicas de boas táticas para usar essa estratégia de forma positiva. Confira!

O que é turismo corporativo?

Também conhecido como turismo de negócios, o turismo corporativo, por definição, envolve viagens e deslocamentos realizados com o objetivo de gerar ou fomentar negócios.

Como, por exemplo, treinamentos, workshops, reuniões comerciais, férias, entre outros eventos.

Um dos objetivos dessas viagens é tornar a empresa ainda mais conhecida, fazer contato com parceiros e clientes, aumentar o portfólio, fazer networking e capacitação de funcionários.

Seja qual for o objetivo, o turismo corporativo é um dos maiores gastos nas empresas, ficando atrás de despesas como folha de pagamento. 

Assim, é muito importante ficar atento a esses gastos de adotar uma gestão completa e assertiva.

O que diferencia o turismo corporativo do turismo de lazer?

O principal aspecto que diferencia o turismo de negócios da viagem de lazer é a finalidade.

Viagens de lazer devem proporcionar descanso, relaxamento, aventura e entretenimento aos passageiros. 

E, por isso correspondem ao perfil e anseios dos viajantes, bem como seu planejamento individual. Ou seja, a pessoa escolhe para onde quer ir, quando e que tipo de viagem vai fazer.

Dessa forma, nas viagens de lazer o funcionário se desconecta totalmente da empresa e de suas obrigações com ela. Ficando livre para curtir seus momentos de férias e lazer.

Já nas viagens corporativas, o escopo da viagem é fundamentado nas necessidades da empresa. 

Portanto, todas as decisões são definidas de acordo com o objetivo, limitações de orçamento e diretrizes definidas na política de viagens da instituição.

E todas as despesas de viagens dos funcionários são de responsabilidade da empresa, que deve oferecer conforto, segurança e bem estar ao funcionário, dentro de suas possibilidades orçamentárias.

Veja também:  O que é um SaaS? Descubra o que é e conheça suas vantagens!

Então, mesmo estando longe de casa, em destino diferente, os indivíduos que fazem viagens corporativas estão a trabalho e devem seguir as regras das empresas, alcançar os anseios de seus gestores. 

Portanto, devem estar conectados aos seus clientes, colegas de trabalho, e-mails e projetos.

Quais os benefícios da prática do turismo corporativo para a empresa?

O turismo corporativo pode impactar consideravelmente no desempenho das empresas, oferecendo vantagens em diversos aspectos, principalmente por se basear na realização das atividades em um contexto mais descontraído e confortável. 

Algumas das vantagens dessa prática são:

  • Encontrar parcerias imprescindíveis e novos clientes;
  • Possibilidade de expansão da marca ou do negócio;
  • Descoberta de novas formas de desenvolver o seu negócio;
  • Mais competitividade no mercado;
  • Aumento do aprendizado e qualificação dos funcionários desenvolvimento do potencial das equipes.

Turismo corporativo: definição das boas práticas para conter custos

A boa gestão das viagens corporativas é, sem dúvida, a melhor prática para garantir que os deslocamentos ofereçam benefícios para os negócios. 

Assim, é possível definir boas práticas que façam sentido para a atuação da empresa e, ao mesmo tempo, otimizem a gestão financeira dessas atividades.

 Veja a seguir as melhores dicas para controlar os custos das viagens de negócios.

1. Aposte em parcerias

Quando as viagens corporativas são frequentes, as parcerias são essenciais para reduzir os custos envolvidos, equilibrar as contas e melhorar o planejamento da logística das viagens a trabalho.

Principalmente se os deslocamentos são constantes para determinadas regiões. Nesse caso, é mais fácil estabelecer convênios fixos com hotéis, lojas de aluguel de carro, restaurantes, etc.

Também é mais fácil fazer o levantamento interno das experiências dos seus funcionários nesses lugares, garantindo mais assertividade na escolha dos parceiros.

Ao fechar alianças é possível reduzir bastante o custo da viagem de negócios, mantendo a qualidade dos serviços prestados.

2. Selecione bons fornecedores

Para ter sucesso nas parcerias é fundamental selecionar bons fornecedores. 

A busca pode ser um pouco demorada, mas é importante ter paciência para fazer o levantamento dos possíveis parceiros e classificá-los de acordo com os feedbacks. Até montar uma lista com seus fornecedores confiáveis.

Veja também:  Ajuda de custo por km rodado ou reembolso por km, qual método usar?

Um bom ponto de partida válido é solicitar a opinião dos funcionários a respeito dos estabelecimentos e serviços que usufruíram durante as viagens corporativas.

A internet também pode ajudar. Acompanhe sites especializados em viagens para encontrar parceiros e observe as avaliações dos clientes.

3. Tenha controle sobre os gastos e despesas

Quando não são bem controladas, as despesas de viagens podem ser um grande problema para a saúde financeira da empresa. 

A falta de limite de gastos ou critérios para reembolso de despesas pode comprometer seriamente o orçamento da empresa.

Para evitar esses transtornos, é fundamental manter as finanças sob controle. Por isso, elaborar uma política de gastos é muito importante para empresas que operam com viagens corporativas constantes.

Uma forma de ajudar nesse controle é contar com o apoio da tecnologia, adotando ferramentas de gestão de reembolso de despesas corporativas e a prestação de contas de viagens corporativas, como o VExpenses, que é uma plataforma que torna o processo de captura, agrupamento, aprovação e reembolso de despesas de viagens corporativas fácil e rápido. 

4. Faça um bom planejamento

Outro ponto crucial para as empresas é a falta de planejamento. Todos os problemas, inclusive financeiros, podem ser resolvidos planejamento adequado.

A organização cautelosa e com responsabilidade ajuda a empresa e os funcionários a desfrutarem dos deslocamentos da forma mais proveitosa e benéfica possível.

Um bom planejamento orçamentário para viagens corporativas deve envolver pesquisas de preços, agendamento com antecedência e, principalmente, uma política de viagem e reembolso corporativo. 

Esse documento é essencial para estabelecer regras que tornem as viagens menos custosas e mais eficientes.

Uma boa gestão de viagens corporativas colabora significativamente para otimizar o turismo de negócios e fazer com que a empresa consiga alcançar as metas estabelecidas, ao mesmo tempo em que controla seu orçamento.

Então, colocando essas medidas em ação, tanto gestores quanto funcionários que viajam ficam mais tranquilos para focar nas metas e objetivos do deslocamento.

Ficou alguma dúvida sobre turismo corporativo, definição ou sobre nossas dicas? Deixe seu comentário que iremos te ajudar! 

Não se esqueça de se inscrever na nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos sobre gestão financeira e de viagens corporativas!

Carolina Crumo


Apaixonada por marketing e por aprender e poder compartilhar conteúdos que engajam e informam. Sou parte do time VExpenses e ajudo a construir um mundo mais empático através de soluções financeiras.

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.